PLANO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL


Em cumprimento à Resolução do CNJ 201/2015, foi instituído pelo TRT 16ª Região, através da Portaria GP Nº 1187/2015, o Plano de Logística Sustentável, instrumento da Política de Sustentabilidade do Poder Judiciário, vinculado  ao planejamento estratégico do órgão, com objetivos e responsabilidades definidas, ações, metas, prazos de execução, mecanismos de monitoramento e avaliação de resultados, que permite estabelecer e acompanhar práticas de sustentabilidade, racionalização e qualidade com o objetivo de melhorar a eficiência do gasto público e a gestão dos processos de trabalho, considerando a visão sistêmica do órgão.

Atualmente o Plano de Logística Sustentável está sendo regulamentado pela Resolução CNJ 400/2021 que revogou a Resolução 201/2015.

Comissão Gestora do PLS


Resolução Nº 201/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ao dispor sobre a criação e competências das Unidades ou núcleos socioambientais nos órgãos e conselhos do Poder Judiciário e sobre a implantação do respectivo Plano de Logística Sustentável, determinou aos órgãos e conselhos do Poder Judiciário, no artigo 12º do referido diploma, a constituição da respectiva Comissão Gestora do PLS-JP. Neste sentido.

Em cumprimento à determinação legal do  CNJ, o Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, através da Portaria GP Nº 735/2015 instituiu a Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável com o objetivo de, em conjunto com  o Setor de Gestão Socioambiental, elaborar, monitorar, avaliar e revisar o aludido Plano.

A Comissão Gestora do PLS-PJ é por nove membros e seus respectivos suplentes representantes das seguintes áreas: 

  • Presidência, que a coordenará;
  • Vice-Presidência;
  • Diretoria-Geral;
  • Secretaria Administrativa;
  • Coordenadoria de Gestão Estratégica, Estatística e Pesquisa;
  • Coordenadoria de Material e Logística;
  • Setor de Saúde;
  • Setor de Gestão Socioambiental e
  • Seção de Licitações

 

Planos elaborados:

 

2021 a 2025

 

2016 a 2021