Justiça do Trabalho no Maranhão diminui mais de 2 milhões em despesas com medidas sustentáveis

quinta-feira, 18 de Julho de 2019 - 13:35
Tabela mostra economia do TRT-MA no triênio 2016-2018

Desde 2016, o Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (Maranhão) adotou algumas medidas que, além de reduzir impactos negativos para o meio ambiente, favoreceu a economia acumulada, em três anos, de R$ 2.038.240,13 nas despesas. Os métodos adotados superaram as expectativas do Plano de Logística Sustentável do Tribunal (PLS), que foi aprovado, para o período de 2016 a 2021, pelo então presidente deste Regional, desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior, por meio da Portaria do Gabinete da Presidência nº 1187/2015, com o objetivo de inserir critérios de sustentabilidade em suas atividades, transformando-as em ações sustentáveis sob as óticas econômica, ambiental e social.
A atual presidenta, desembargadora Solange Cristina Passos de Castro Cordeiro, celebra o resultado e destaca a importância de tais ações. "A implantação do PSL foi uma determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e, há três anos, tem mudado os padrões de consumo em nosso Tribunal. Os índices de redução previstos no PLS foram atingidos de 2016 a 2018 com uma relevante economia nesse período, e destaque na redução do uso de papéis, que diminuiu em 138,46%. Os resultados nos motivam a continuar em busca de ações que tragam pontos positivos, tanto no que diz respeito à responsabilidade ambiental, como também no aperfeiçoamento contínuo da qualidade do gasto público", declarou.
A coleta seletiva de papel; destinação de cartuchos de tintas e tonner e de materiais recicláveis às cooperativas; o acompanhamento de consumo de água, energia, copos e papel; parceria com a Companhia de Energia Elétrica (CEMAR)  para instalação de Ecoponto de recolhimento de materiais recicláveis entregues pela comunidade do bairro e o serviço de coletiva seletiva de resíduos da área de saúde do TRT estão dentre as principais ações executadas no Regional.
A servidora Silvia Maria Pontes de Castro, do Setor de Gestão Socioambiental, falou sobre a sustentabilidade no Tribunal da 16ª Região. "Dentro do cenário atual do mundo, ser consciente é essencial e, com medidas muito simples, ajudamos o ecossistema. A gestão sustentável de recursos naturais de bens públicos e de resíduos gerados, a promoção de contratações sustentáveis e gestão sustentável de documentos, com a sensibilização e capacitação do corpo funcional, estão previstas no PSL e estamos cumprindo. Com isto, também reduzimos os gastos", comentou.
Ocupando o primeiro lugar nos índices de redução, no triênio 2016 a 2018, o consumo de papel caiu em 138,46%; seguido dos custos de telefonia, com 122,89% e do consumo de descartáveis, com queda de 101,01%. Outras reduções significativas foram as de impressões, com 88,84%; energia, com 81,19%; combustível, com 23,36% e também no serviço de vigilância, com 26,19%.
TRT16 Sustentável sob a Ótica Social - além dos ganhos com medidas sustentáveis que promoveram a redução de impactos ambientais por meio de ações mais responsáveis com o meio ambiente, que acabaram reduzindo as despesas do tribunal, em 2018, o TRT-MA foi o primeiro órgão público a aderir à Campanha Não é Mito do Instituto Entre Rodas. A campanha tem o intuito de recolher a maior quantidade possível de lacres das latas alumínio que poderiam ser descartados irregularmente na natureza e transformá-los em cadeiras de rodas para crianças e adolescentes de até 14 anos, que têm baixa mobilidade.
Em novembro passado, por meio dessa atitude, a ONG Entre Rodas contemplou a estudante maranhense Ana Vitória, de 8 anos, com uma cadeira sob medidas, respeitando todas as especificidades de seu corpo, e o tribunal está engajado em completar 1000 garrafas pet, de 2 litros cada, para poder mudar a realidade de outra criança que tem deficiência física e a família não consegue arcar com o valor da cadeira, que custa R$ 2.700,00 quando adquirida pela ONG Entre Rodas.
No último dia 27, o chefe de Gestão Socioambiental, engenheiro Marcelo Henrique Bandeira Costa de Alencar apresentou a palestra "Engajamento Inclusivo - Uma Experiência do TRT da 16ª Região" durante o  VI Seminário de Planejamento Estratégico Sustentável do Judiciário, promovido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), nos dias 26 e 27 de junho, em Brasília. O objetivo, segundo Marcelo Alencar, foi estimular a adesão de outros órgãos públicos à campanha contribuindo para a formação de uma rede nacional de arrecadação de lacres constituída de órgãos públicos.
Qualquer pessoa pode contribuir com essa causa. Os servidores estão empenhados em trazer os lacres para o Regional, mas quem se interessar em ajudar, pode passar em qualquer um dos pontos de coleta e doar voluntariamente. Clique aqui e saiba onde tem um ponto de arrecadação mais próximo de você.
Para saber mais sobre a campanha, acesse o site do Instituto Entre Rodas, clicando aqui. Mais informações pelo telefone (98) 2109 9573.
Redação: Kellyne Lobato (estagiária de Jornalismo)
Jornalista Responsável: Suely Cavalcante.

21 visualizações