CAEMA realiza drenagem na rede sanitária do prédio-sede do TRT-MA

quinta-feira, 18 de Julho de 2019 - 15:51
Tubulação sanitária desconectada no momento em que o esgotamento vindo do prédio é lançado diretamente no solo.
“Lagoa” formada pelas águas oriundas das diversas tubulações danificadas.

A rede sanitária do prédio-sede do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (Maranhão) passou por duas ações de drenagens, na quinta-feira (11) e na sexta-feira (12) passadas. A pedido da presidenta do TRT-MA, desembargadora Solange Cristina Passos de Castro Cordeiro, a CAEMA realizou o serviço de limpeza e retirou 6.000m³ de materiais depositados no subsolo da sede, onde cinco caixas de coleta de resíduos estão submersas em dejetos.
“Essa drenagem é uma necessidade sistemática. Considerando ainda que há cinco caixas de coleta submersas, os dejetos estavam expostos, sendo necessária essa ação de drenagem que está sendo realizada e que prosseguirá, inclusive com a construção de novas caixas, visando à salubridade do ambiente de trabalho do nosso público interno e do externo que comparece ao Tribunal. Nós estamos trabalhando empenhados no cumprimento das normas ambientais, de preservação ao meio ambiente, tendo em vista que a última manutenção foi realizada há mais de 10 anos”, afirmou a desembargadora presidenta do TRT-MA.
A servidora Silvia Maria Pontes de Castro, lotada no Setor de Gestão Socioambiental, foi quem solicitou à presidenta o serviço de drenagem. Segundo ela, além da limpeza, a medida possibilitou traçar ações de manutenção a longo prazo. "Foi possível vislumbrar a real situação de preservação da rede sanitária do prédio-sede e identificar as ações de engenharia necessárias à manutenção corretiva das instalações hidrossanitárias", afirmou. 
Em cada etapa, aproximadamente 3.000m³ de materiais foram drenados. E, ainda assim, não foi o suficiente para deixar o ambiente totalmente seco, o que enseja a necessidade de outras drenagens já previstas. Porém, serão ainda realizados serviços de reparo nas instalações sanitárias que apresentaram vazamentos, como, por exemplo, na caixa de coleta de esgoto e nas tubulações sanitárias. Segundo o engenheiro da CAEMA Jorge Ricardo Atayde Rocha, as demais drenagens poderão ser feitas concomitantemente à realização dos reparos. Contudo, só poderão ser concluídas após tais reparos.
O TRT-MA já iniciou as providências para abertura da licitação que contratará empresa especializada para a realização dos reparos necessários, em caráter emergencial. Segundo a arquiteta Andréa Saldanha Addalla Morais e Silva, da Seção de Engenharia do Tribunal, trata-se de ambiente insalubre, “fechado há aproximadamente 12 anos, sem iluminação ou ventilação, com a presença de animais nocivos à saúde humana, dentre outros aspectos de falta de higiene”. Tais condições exigem especificações técnicas adequadas para não comprometer a saúde dos trabalhadores que atuarão na área. Além disso, a execução de tais serviços especializados envolve custos para o Tribunal. 
A iniciativa de limpeza e dos reparos na rede hidrossanitária do prédio-sede do TRT-MA visa à promoção de um local de trabalho sadio, assim como a manutenção e a preservação da estrutura de saneamento básico do Tribunal. 

Redação: Lucas Ribeiro (estagiário de Jornalismo).
Responsável: Rosemary Araujo.
Fotos: Seções de Engenharia e Comunicação Social.

 

9 visualizações